O desejo de mais-vida e a humanização do vampiro

Sandra Maria Lúcia Pereira Gonçalves

Resumo


Partindo-se do pressuposto de que as mídias são os elementos-vínculo da organização social, bem como estruturantes da sociedade contemporânea, pensa-se o meio cinema como um lugar onde, potencialmente, poderes podem ser exercidos. A temática é a da finitude humana. Por meio da representação do vampiro no cinema, a partir da literatura sobre o assunto - Drácula, de Bram Stoker, Entrevista com o vampiro, de Anne Rice e Crepúsculo, de Stephenie Meyer - buscar-se-á pensar as “barganhas” estabelecidas entre o homem e a sua finitude. Por meio da figura do vampiro e suas mutações, e irá refletir sobre o desejo humano de mais-vida. Foucault nos auxiliará a pensar essas descontinuidades e consequentemente o poder que se exerce sobre os corpos.


Texto completo: PDF



ISSN: 1806-6925 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Projeto Gráfico: Jully Rodrigues

Crossref Member Badge
Crossref Similarity Check logo
Locations of visitors to this page