Sobre o campo científico da comunicação

Tiago Quiroga

Resumo


O artigo problematiza a constituição do campo científico da comunicação – atributos, singularidades e redes conceituais na delimitação de seu objeto de estudo. Ancorada em Pierre Bourdieu, a reflexão revisita importantes pleitos do campo, tais como a recorrente questão da interdisciplinaridade e a atividade hermenêutica como princípio de autonomia. O objetivo central é delinear uma crítica às abordagens instrumentais em que a comunicação aparece, cada vez mais, esvaziada de qualquer ontologia. Em função da proliferação dos discursos que a circunscrevem ao acompanhamento tecnológico, acabamos por transformar meios em fins, sacramentamos o viés aplicativo da área, chancelando o caminho para uma atividade científica demasiadamente desreferencializada. Procura-se pensar, portanto, em que medida não seria a própria interlocução entre os pesquisadores da área um recurso epistemológico essencial ao enfrentamento do imperativo da dispersão técnica, bem como do mimetismo teórico que têm marcado o campo em questão.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .