Epistemologias nos processos formativos de jornalistas no contexto da sociedade em midiatização

Antonio Fausto Neto

Resumo


Reflete-se sobre a importância de referências epistemológicas nos processos formativos do jornalista. Examina-se como este tema é enunciado em debates internacionais e em documentos que discutem tais processos, como as “Diretrizes Curriculares do Ministério da Educação” e o parecer do STF que extingue a exigência do diploma universitário como condição do exercício da profissão de jornalista. Enfatiza-se que as formulações epistemológicas pensadas nestes textos não levam em conta o complexo contexto de midiatização crescente. Examina-se ainda a natureza de “epistemologias derivadas” que acentuam a formação de jornalistas vinculada estritamente às lógicas dos meios e outras relacionadas com diversidade de experiências formativas que são ofertadas por nichos empresariais midiáticos. Destaca-se, porém, a importância de processos formativos que levem em conta estruturas curriculares que valorizam a importância de processos de codificação e de observação que estão em sintonia com as mutações que se manifestam na atual ecologia comunicacional.

Palavras-chave


jornalismo, epistemologias, formação

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .