Perspectiva histórica, etnicidade e historicidade para a compreensão dos Kinikinau

Iára Quelho de Castro, Vera Lúcia Ferreira Vargas

Resumo


Os Kinikinau, pertencentes ao grupo Guaná-Aruak, foram teoricamente decretados extintos na primeira metade do século XX. Neste artigo, procurou-se mostrar que novas ou renovadas concepções no campo da Antropologia permitiram novas abordagens dos povos indígenas, que incluem suas percepções e adotam uma perspectiva histórica, possibilitando uma recomposição de suas experiências que escapa da história construída sob um único ponto de vista. O desaparecimento daquele grupo, como em muitos outros casos, constituiu-se como um produto histórico e teórico que se esfacelou frente à sua presença na sociedade brasileira, que invalidou todos os prognósticos pessimistas quanto à sua permanência. Trata-se, especificamente, de se apontar os recursos teórico- -metodológicos que permitem conferir visibilidade a povos considerados desaparecidos, a partir da experiência da escrita de parte da história dos Kinikinau, que exigiu um diálogo entre os campos dos saberes da História e da Antropologia que se renovaram a partir da década de 1970.

Palavras-chave: História Indígena, perspectiva histórica, etnicidade.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/htu.2016.202.03



ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues
 
 
 
 
 
   
 
 
 
 
 
 
 
 

SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo