Arena de traços: os escritos de Carl Von Martius e Francisco Freire Alemão na composição de uma historiografia nacional

Karoline Viana Teixeira

Resumo


Partindo das afinidades intelectuais entre os botânicos Carl Friedrich von Martius e Francisco Freire Alemão, este artigo tem como propósito investigar o papel da escrita da história preconizado por Martius na formatação de um projeto histórico e ideológico para a nação brasileira. Num período em que a intelectualidade se debruçava sobre a possibilidade de estabelecer marcos históricos para uma nação neófita à luz da cultura oitocentista, Martius defende que a natureza seria a chave de leitura para entender as descontinuidades nas experiências do tempo e de civilidade nos trópicos. Num período em que as viagens exploratórias ao Novo Mundo tinham um relevante papel econômico, político e estratégico, o envio de uma comissão formada exclusivamente por cientistas brasileiros ao interior do Brasil evoca a busca na inserção no conjunto de nações civilizadas. O relato dessa viagem, feito por Freire Alemão, demonstra o poder da escrita como operador discursivo, ao organizar visões e sentidos numa narrativa que busca integrar os sertões ao restante do Império brasileiro.

Palavras-chave: escrita da história, relato de viagem, cultura oitocentista.


Texto completo: PDF



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo