A supressão do tráfico de escravos em Angola (ca. 1830-ca. 1860)

Roquinaldo Ferreira

Resumo


Este artigo trata do processo de abolição do tráfico atlântico de escravos em Angola na primeira metade do século XIX. O artigo considera as diferenças e dinâmicas regionais do tráfico em Luanda, Benguela e o chamado “norte de Angola” (Cabinda e Ambriz). Argumenta que para entender o impacto das políticas abolicionistas em Angola, é preciso primeiro analisar questões como o provimento de escravos para a costa angolana, a participação das elites locais no tráfico e os laços estreitos entre Angola e Brasil. O artigo demonstra que as políticas abolicionistas só se tornaram efetivas quando Portugal aderiu à causa abolicionista na década de 1840 e com as operações navais que terminaram com os embarques de escravos em Luanda, o maior porto do tráfico de escravos em Angola. Como consequência do fim do tráfico em Luanda, os riscos associados com o tráfico aumentaram e o tráfico de escravos se tornou ainda mais  concentrado em regiões fora do controle Português em Cabinda e Ambriz.


Palavras-chave: Angola, Tráfi co de Escravos, Abolicionismo, Atlântico.


Texto completo: PDF (English)



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo