Maldita leitura

María Verónica Secreto

Resumo


Nas primeiras décadas do século XX, dois tipos de crimes contra a honra ocuparam a preocupação dos juristas e do grande público: os crimes passionais e os defloramentos. Em ambos considerava-se que a literatura tinha sua cota de responsabilidade. Os crimes passionais, objeto da ficcionalização de escritores como Stendhal e Dumas, gozavam por causa disto de indulgência entre alguns juristas e freqüentemente entre o público que compunha o júri. Analisaremos como as obras de ficção do século XIX, como os romances de Flaubert, Queirós, Dumas, etc. e os ensaios que tinham como tema o amor, muitas vezes intitulados de “fisiologias do amor”, eram considerados indutores de condutas libidinosas que levavam ao crime de “sedução”.

Palavras-chave: leitura, literatura, gênero, crimes contra a honra.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/6431



ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues
 
 
 
 
 
   
 
 
 
 
 
 
 
 

SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo