Pelas crias que me deu: reprodução natural, arranjos familiares e alforria no Brasil Meridional (Rio Pardo, c. 1850-1888)

Melina Melina Kleinert Perussatto

Resumo


Propomos nesse artigo refletir sobre a reprodução natural da escravidão no município de Rio Pardo, Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, problematizando tanto as conformações familiares como a dinâmica da manumissão nas últimas décadas de vigência da escravidão. Como principais fontes usaremos inventários post-mortem, listas de matrícula e de classificação de escravos, recenseamento de 1872, assentos de casamentos de escravos e forros, assentos de batismo de escravos e de filhos livres de mães escravas e registros de alforrias.

Palavras-chave: reprodução natural da escravidão, família, alforria, liberdade, Rio Pardo (RS).

Texto completo: PDF



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

ISSN: 2236-1782 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues




SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo