#SEMCENSURA: o duplo vínculo entre a comunicação midiática e as redes digitais na discussão da censura homofóbica

Rafael Soares Krambeck

Resumo


Neste artigo, buscou-se mapear os usos das plataformas online pelos atores sociais como um processo de construção de interpretações das representações midiáticas de questões socioculturais e como ferramentas de mobilização social contra a chamada “censura homofóbica”. Assim, observaram-se as estratégias usadas na campanha “Marcela e Marina Sem Censura”, surgida como uma reação aos cortes às cenas do casal interpretado por Luciana Vendramini e Giselle Tigre que protagonizou o primeiro beijo gay da teledramaturgia brasileira. Percebe-se que, nas redes sociais na internet, o ator social vai inserir-se no contexto midiático não como um mero receptor, mas como um sujeito ativo na construção social da realidade e distribuidor de produtos midiáticos “alternativos”, gerando uma cultura da mobilização social contra a censura.

Palavras-chave: telenovela, redes sociais, mobilização social.


Texto completo: PDF



ISSN: 1984-8226 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022-750. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122
Projeto gráfico: Jully Rodrigues


Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo