A potencialidade da teoria da linguagem benvenistiana para o estudo da relação língua-indivíduo-sociedade: o caso dos estrangeirismos no português brasileiro contemporâneo

Carolina Knack, Carmem Luci da Costa Silva, Giovane Fernandes Oliveira

Resumo


Este estudo, à luz da Teoria da Linguagem de Émile Benveniste, objetiva investigar um fenômeno de linguagem no português brasileiro contemporâneo: a incorporação de estrangeirismos no meio jornalístico digital, especificamente, a incorporação da expressão fake news. Para tanto, exploram-se as relações entre língua, indivíduo e sociedade a partir dos pares conceituais enunciação-discursoforma-sentidosintagmatização-semantizaçãolíngua-sociedade, integrantes da reflexão benvenistiana, com base nos quais se analisam, em seguida, manchetes que contêm a expressão fake news, publicadas em 2017, 2018 e 2019, nos jornais digitais Folha de S. PauloGaúchaZH. O exame dos recortes enunciativos revela movimentos discursivos que denunciam que o lexema carrega o valor que tem enquanto signo na língua e na sociedade de origem, mas é preenchido por outros sentidos ao se sintagmatizar no discurso com as formas da língua de chegada, interpretante de outra sociedade. Nesse movimento de incorporação do estrangeirismo, o léxico da língua de chegada expande-se e possibilita novos agenciamentos sintagmáticos.

Palavras-chave: enunciação; língua; estrangeirismos.



Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/cld.2019.173.06



SCImago Journal & Country Rank

ISSN 2177-6202