Subjetividade e avaliação no ensino da escrita no I ciclo do Ensino Fundamental de 9 anos

Lorena Bischoff Trescastro, Thomas Massao Fairchild

Resumo


Neste artigo discute-se a avaliação diagnóstica da escrita infantil na dimensão do sujeito, numa concepção discursiva da linguagem e de subjetividade lacaniana. Duas questões norteiam o debate: (i) o que os alunos demonstram saber por meio do que escrevem? (ii) o que se pode ensinar a eles a partir daí? Essas questões pressupõem tanto a aferição de conhecimentos objetivos quanto a análise das posições assumidas pelos alunos ao produzirem seus textos em resposta a uma demanda do professor, assim como, no ensino, a resposta do professor ao aluno. Foram analisados quatro textos de alunos do 3º ano do Ensino Fundamental de nove anos. Cada um dos textos demonstra um nível de domínio da escrita diferente, mas também uma posição distinta diante da demanda – desde a garatuja, que manifesta um movimento de “alienação” ainda incipiente, até a escrita de uma narrativa que instaura voluntariamente uma “separação” em relação ao texto lido.

Palavras-chave: escrita infantil, subjetividade, avaliação diagnóstica.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/cld.2014.122.09



SCImago Journal & Country Rank

ISSN 2177-6202