Improvável – um espetáculo provavelmente bom: análise de processos interacionais do jogo Cenas improváveis com base na Teoria da Relevância

Fábio José Rauen, Layla Antunes de Oliveira

Resumo


Inspirado no programa Whose line is it anyway? (EUA e Inglaterra), onde o público pode criar cenas para os atores interpretarem de improviso, a Cia. Barbixas de Humor produz o show Improvável – um espetáculo provavelmente bom. No quadro Cenas improváveis, os atores devem improvisar cenas a partir de temas absurdos sorteados dentre aqueles propostos pela plateia. Dado que a consecução das cenas exige habilidades e competências ostensivo-inferenciais, por hipótese, guiadas pelos princípios cognitivo e comunicativo de relevância, tais como propostos por Sperber e Wilson (1986, 1995), este artigo analisa as trocas comunicativas que compõem uma cena improvável selecionada do site Youtube. Com base no estudo, avalia-se positivamente a pertinência expositiva e explanatória da Teoria da Relevância para a análise empírica de processos interacionais verbais e não verbais na improvisação teatral.

Palavras-chave: Teoria da Relevância, comédia, improvisação.


Texto completo: PDF



SCImago Journal & Country Rank

ISSN 2177-6202