Enunciação benvenistiana e ensino da língua portuguesa

Celia Helena de Pelegrini Della Méa, Grisiê de Mattos Gründling

Resumo


Com este trabalho, objetiva-se discutir a importância do estudo da enunciação para o ensino de língua portuguesa. A questão se problematiza na medida em que é constatado o uso quase exclusivo da gramática normativa na fundamentação do estudo da língua no decorrer da educação básica. Sabe-se, porém, que tal priorização não tem formado sujeitos leitores e escritores proficientes, contrariando o conteúdo versado pelos PCNs, cujas recomendações para o ensino de língua portuguesa definem-se por privilegiar o desenvolvimento das competências e habilidades para o uso concreto da língua. Assim, a língua, entendida no interior de seu funcionamento, na interação entre interlocutores, ganha o estatuto de produzir novos sentidos, portanto, ganha “olhar” enunciativo e deve ser considerada e ensinada por esse viés. Por fim, a Teoria da Enunciação, de Èmile Benveniste, considerada basilar nos estudos enunciativos sobre a língua/linguagem, fornece subsídios para o tratamento da língua em uso, ou melhor, em dada situação que pressupõe as categorias de pessoa, tempo e espaço. Portanto, os fundamentos teóricos da enunciação benvenistiana respondem ao que preconizam os PCNs sobre o ensino de língua portuguesa.

Palavras-chave: enunciação, ensino, língua.


Texto completo: PDF