O Poder no Circuito da Enunciação

Nayr Tesser

Resumo


Este artigo parte de uma reflexão já realizada no trabalho de doutorado “Enunciação e Poder: elementos para a construção de um objeto teórico”, que permitiu propor a tese de que o poder é constitutivo da enunciação. A proposta resume-se ao seguinte silogismo: se a relação de poder é uma relação concreta, imediata, singular e pontual; se a relação de intersubjetividade é uma relação de poder, concreta, imediata, singular e pontual; se o próprio ato enunciativo é uma relação de intersubjetividade, singular e pontual, pode-se concluir que o poder faz parte do circuito da enunciação. Foram eleitos dois conceitos, o de poder, sustentado pelas posições de Bobbio, Foucault e Comte-Sponville, cuja característica comum é a interdependência entre o conceito de poder e a noção de liberdade; e o de língua, sustentado pela teoria da enunciação de Benveniste, a partir da relação de intersubjetividade.

Palavras-chave: língua, poder, liberdade, intersubjetividade, enunciação.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/5994



SCImago Journal & Country Rank

ISSN 2177-6202