Interações em aulas de inglês de uma escola pública: disputas de poder e subversão do mandato institucional

Beatriz Fontana

Resumo


Este artigo apresenta resultados de uma investigação qualitativa segundo alguns princípios etnográficos, que observou e analisou o que acontece em aulas de inglês como Língua Estrangeira (LE) em ambiente instrucional de uma turma de 5ª série de uma escola da rede pública municipal da Grande Porto Alegre. A pesquisa se orientou no sentido de problematizar verdades instituídas sobre a impossibilidade de um resultado positivo para a aquisição da língua inglesa nesses ambientes, estabelecendo o foco do estudo nas falas em interação nas rotinas para a construção de conhecimento nessa língua estrangeira. As aulas de inglês foram gravadas em áudio e vídeo e transcritas. A observação da estrutura de participação, do alocamento e do uso do turno, do alinhamento aos pisos iniciados pelo professor e da quantidade de turnos usados por meninos e meninas sugere que o professor tem dificuldades em conseguir que a maioria dos alunos meninos se engaje na atividade que propõe. Também fica evidenciado que há um predomínio da maioria dos meninos na inicialização de atividades que conseguem o alinhamento do professor e conseqüentemente fornecem a orientação para o que se desenrola na sala de aula.

Palavras-chave: interação, ensino-aprendizagem de inglês, estrutura de participação.


Texto completo: PDF