Inserção epistemológica da teoria da complexidade nos estudos lingüísticos: sobre fragmentos e totalidades

Dinorá Fraga da Silva

Resumo


Este artigo discute um tema que tem orientado os estudos lingüísticos - a noção de sistema, segundo o pensamento da ciência moderna, noção baseada na relação entre parte e todo. Procuramos reexaminar essa idéia orientadora, a partir da discussão da crise do paradigma da modernidade, possível devido a um movimento de aproximação entre ciências, como a Física e a Biologia, que passam a fornecer para as demais ciências uma oxigenação epistemológica sobre os respectivos objetos de saber. Por outro lado, tal crise permite, nesses avanços, desvelar para essas mesmas ciências que, por mais rigorosas que se pretendam, no sentido da modernidade, seus objetos podem ser pensados também a partir da construção de significados, com todo o trabalho com a linguagem que isso envolve. Assim, com a relativização das fronteiras entre as ciências, o trabalho científico ganha em sentido político, por aproximar as ciências, permitindo sua ênfase no humano, socialmente situado.

Palavras-chave: sistema, crise de paradigma, estudos lingüísticos.

Texto completo: PDF



SCImago Journal & Country Rank

ISSN 2177-6202