Variação e discriminação linguística no ensino e aprendizagem de línguas em comunidades bilíngues

Maria Nilse Schneider

Resumo


Este artigo promove uma reflexão sobre questões sociolinguísticas pertinentes à variação e estigmatizarão linguística no ensino e aprendizagem de português e alemão, em comunidades bilíngues de contato alemão-português. Esta reflexão fundamenta-se nos estudos sobre bilinguismo, política linguística, variação linguística e especialmente sobre atitudes e concepções linguísticas, e discute as implicações sociais e pedagógicas dos valores e modelos de prestigio nas comunidades. Primeiramente, aborda questões relacionadas às políticas linguísticas dirigidas às línguas de imigração, particularmente, às variedades alemãs, e à formação de crenças e atitudes linguísticas. Em seguida, discute algumas implicações sociais e pedagógicas da discrepância existente entre a manutenção dos padrões linguísticos vigentes de um lado, e de outro o bilinguismo societal e a variação inter e intralingual, bem como a estigmatizarão linguística e atitudes e preconceitos linguísticos no ensino e aprendizagem de português e alemão. A análise aponta para conflitos identitários e educacionais que se refletem nas atitudes de solidariedade e de distinção linguística em relação ao uso e à avaliação da variação linguística, bem como no tratamento conferido às variedades linguísticas e aos traços de fala de suas comunidades.

Palavras-chave: ensino e aprendizagem de línguas, bilinguismo, políticas linguísticas, variação linguística, atitudes e preconceitos linguísticos.

Texto completo: PDF



ISSN: 2177-6202 - Melhor visualizado no Mozilla Firefox

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0

São Leopoldo, RS. Av. Unisinos, 950. Bairro Cristo Rei, CEP: 93.022 -000. Atendimento Unisinos +55 (51) 3591 1122

Projeto gráfico: Jully Rodrigues


 

SCImago Journal & Country Rank Crossref Member Badge Crossref Similarity Check logo