O livro didático de português e o trabalho com a produção escrita: análise das solicitações de reescrita textual

Evandro Gonçalves Leite, Regina Celi Mendes Pereira

Resumo


Este trabalho pretende investigar se as propostas de reescrita presentes numa coleção de livro didático de português abrangem satisfatoriamente os diversos níveis de constituição e de funcionamento dos textos, no sentido de desenvolver habilidades de uso da escrita pelos alunos. A coleção selecionada como material de análise é Português: ideias e linguagens, de Delmanto e Castro, direcionada à segunda fase do Ensino Fundamental, da qual apreciamos todas as solicitações de reescrita. O trabalho é vinculado ao Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) na perspectiva de Bronckart (1999, 2006) e à Linguística Aplicada: desta retiramos as considerações sobre a (re)escrita e seu ensino; daquele, as concepções relativas à constituição e ao funcionamento dos textos no quadro do agir de linguagem. As análises evidenciam, grosso modo, que a reescrita textual é uma atividade solicitada em mais de 60% das propostas de produção escrita e que, destas, pouco mais de 50% priorizam as capacidades/operações de linguagem descritas por Bronckart. As outras enfatizam critérios julgados improdutivos para a aquisição de estratégias de escrita pelos alunos. Concluímos, dessa forma, que o livro didático já considera que a reescrita é importante para a apropriação de estratégias de produção; no entanto, há ainda muitas dificuldades de escolher os critérios mais significativos para tal.

Palavras-chave: reescrita textual, livro didático de português, capacidades de linguagem.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.4013/154



SCImago Journal & Country Rank

ISSN 2177-6202